Câncer do intestino

Câncer do intestino

Prevenção do câncer de intestino

O câncer do intestino é um dos tumores mais frequentes entre homens e mulheres no Brasil, sendo o segundo mais frequente na região Sudeste. É uma doença que pode ser evitada e se diagnosticada tardiamente pode ser fatal. Por isso é tão importante a sua detecção precoce, quando a possibilidade de cura é grande.

Detecção precoce é encontrar o câncer do intestino numa fase inicial, quando pode ser curado por cirurgia.

Os tumores de intestino, em geral, crescem lentamente e de forma silenciosa. Os sintomas só aparecem tardiamente. Consulte o médico sempre que notar os seguintes sintomas: sangramento anal, sangue nas fezes, alteração do hábito intestinal, ou seja, diarréia e intestino preso alternados, vontade frequente de ir ao banheiro, com sensação de evacuação incompleta, dor ou desconforto abdominal ou anal, fraqueza, anemia, sensação de gases ou distensão, perda de peso sem causa aparente. Note bem: se você apresentar alguns destes sintomas procure seu médico para avaliação. Nem todo sangramento pelo ânus é causado por hemorroidas. As hemorroidas não causam câncer e podem confundir o diagnóstico.

O câncer do intestino pode ser prevenido. Quase sempre se inicia através de um pólipo (lesão benigna) que cresce na parede do intestino. Quando um pólipo é retirado do intestino durante o exame de colonoscopia, está se impedindo que ele se transforme em câncer. Pólipos são lesões benignas que se desenvolvem na mucosa do intestino grosso de algumas pessoas. Geralmente, não causam sintomas e só são descobertos quando é realizado exame de colonoscopia. Qualquer pessoa pode ter pólipos ao longo da vida.

Os jovens também podem ter pólipos e muitas vezes estes estão associados a doenças genéticas (história familiar). Alguns hábitos podem facilitar o aparecimento de pólipo e de câncer, tais como o fumo, consumo de dieta rica em gorduras e pobre em fibras, ingestão frequente de álcool e de alimentos com corantes artificiais. Outros fatores de risco são: idade maior que 50 anos, história pessoal ou familiar de pólipos ou câncer de intestino, colite e história pessoal ou familiar de outras neoplasias, tais como câncer de mama, ovário ou útero.

O exame de colonoscopia consiste na passagem de um aparelho para avaliação de todo o reto, intestino grosso e parte do intestino fino, permitindo o diagnóstico e até mesmo tratamento de pólipos, divertículos, câncer de intestino e colites. Visualiza-se todo o intestino grosso por dentro, por visão direta, permitindo fazer coleta de material para biópsia ou retirada de pólipos. O exame requer limpeza prévia adequada do intestino.

O exame de rastreamento serve para examinar pessoas que não tem nenhuma queixa. Se você pertence ao grupo de risco normal (isto é não tem os antecedentes já mencionados para câncer), deve ser examinado a partir dos 50 anos (toque retal, sangue oculto nas fezes e retoscopia ou mesmo a colonoscopia). A partir dos 60 anos: Colonoscopia a cada 10 anos. Se você pertence ao grupo de risco aumentado, isto é, quando tem antecedente pessoal ou familiar de câncer do intestino, antecedente de colite ou de pólipos, deve iniciar o rastreamento mais cedo, por volta dos 40-45 anos, ou mesmo antes, se tiver sintomas. Quando pólipos são achados no exame de colonoscopia, devem ser retirados e o exame repetido em um intervalo mais curto, na procura de outras lesões.

Além da colonoscopia, o que se deve fazer para evitar o surgimento do câncer de intestino?

Além dos exames de rastreamento descritos nas idades adequadas, alimentação e estilo de vida saudáveis são muito importantes. Algumas dicas: consuma boa quantidade de fibras e reduza a quantidade de gorduras principalmente as de origem animal. Frutas e vegetais frescos são muito importantes na prevenção do câncer de intestino. É recomendado que você coma pelo menos 25 a 30g de fibras e cerca de duas xícaras e meia de frutas/verduras ao dia.

Diminua o consumo de gordura e de álcool. Pare de fumar. E consulte seu médico regularmente, sem preconceitos. Da mesma forma que a mulher deve fazer o exame ginecológico anualmente e o exame de mama, homens e mulheres devem, a partir dos 40/50 anos, submeter-se ao exame de toque retal e aos 50/60 anos a colonoscopia preventiva.